LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

domingo, 18 de junho de 2017

Homem que já tinha matado seis foi morto ontem em frente a uma Igreja em Juazeiro


Duda foi baleado na cabeça e tombou morto no local (Foto: Reprodução)

Um homicídio foi registrado às 13h30min deste sábado no cruzamento das ruas Madre Maria Vilac e Paulo César Silvino Pereira em frente à Igreja de São José no bairro Limoeiro em Juazeiro. O ex-presidiário José Caitano de Souza, de 35 anos, apelidado por “Duda” morava na Travessa Potengi, 624 (Seminário) em Crato e era tido como homem de alta periculosidade. Ele pilotava uma moto e tinha saído do trabalho quando foi atocaiado por algozes que efetuaram vários tiros na cabeça causando sua morte no local.

Duda Caitano já tinha várias passagens pela polícia e respondia por tráfico de drogas, porte e posse de armas de fogo, lesões corporais, um acidente de trânsito com vítima fatal e seis homicídios (15/01/2007 - 29-06-2007 - 06/04/2007 - 28/03/2007 - 13/03/2011 – 05/02/2017). Uma de suas primeiras prisões foi no dia 26 de fevereiro de 2008 sob a acusação de integrar uma quadrilha que vinha praticando assaltos em vários municípios do Cariri.

Com ele estavam Cicero Edivanio dos Santos Davi, Francinaldo Ribeiro de Sousa, Francisco Dionisio de Sousa, Jesus Carlos de Sousa, Marcelo Soares Alencar e Ricardo Feliciano da Silva. Na época, a polícia recuperou vários objetos roubados, apreendeu armas e muita droga. A base do bando ficava em Crato e era monitorada pela polícia, inclusive com escuta telefônica autorizada pela justiça. Eles chegaram a praticar assaltos na residência de um juiz e um engenheiro ferindo o vigilante.

Já no dia 26 de outubro de 2009 voltou a ser preso em uma moto com certa quantidade de maconha quando terminou apontando a chácara perto do Atacadão, onde se encontrava, e a polícia foi até lá prendendo mais cinco pessoas dentre estas uma mulher e um adolescente de iniciais T. L. G., de 16 anos, além das armas, drogas e quatro motos.

No dia 2 de setembro de 2011 Duda Caitano morava na Travessa Potengi (Seminário) em Crato, mas foi preso em Jardim perto da divisa com o Pernambuco e recolhido à cadeia pública após o cumprimento de mandado de prisão por conta de um homicídio praticado no dia 13 de março de 2011 contra o menor Francisco Iarley Isidorio dos Santos, de 16 anos. O garoto residia na Travessa Potengi em Crato, onde foi morto com quatro tiros. A vítima ainda saiu correndo e o acusado foi junto atirando


Em 27 de janeiro de 2015 já residia no Sítio Encruzilhada em Crato quando foi preso no Distrito de Dom Leme em Santana do Cariri. Em poder de Duda foram encontradas 14 gramas de crack, duas balanças de precisão, vários sacos plásticos usados na embalagem de drogas, sódio usado para misturar na cocaína, uma espingarda tipo socadeira, três tubos com pólvora, outros três com chumbo, uma caixa de espoletas, um cartucho calibre12, quatro calibre 36 e mais um calibre 28, bem como uma faca.

Sua última prisão tinha ocorrido na noite do dia 5 de fevereiro de 2017 após matar, na Travessa Potengi, 624 (Bairro Seminário) em Crato, Francisco José Pereira de Macedo, de 46 anos, o “Francisco de Madalena” que residia na Travessa Icó, 339-A naquele bairro. A polícia soube que o dono da casa - onde tudo aconteceu - teria sido o autor do homicídio e passou a diligenciar prendendo Duda perto do Hospital São Francisco. Um parente seu identificado por “Naldinho Caitano” teria tentado ocultar o cadáver com mais três desconhecidos.
Por Demontier Tenório///miseria.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário