LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88]

domingo, 27 de julho de 2014

PACUJÁ-CE: HOMEM MORRE AO COLIDIR SUA MOTO NA TRASEIRA DE UM CAMINHÃO.


Um grave acidente envolvendo uma moto e um caminhão deixou saldo negativo de um morto na Ce que liga os municípios de Pacujá a Reriutaba na noite deste sábado (26). O sinistro aconteceu por volta das 18:30 minutos e teve como vitima FATAL um homem identificado apenas por Airton, natural de Pacujá,
o mesmo pilotava uma moto Biz de placa HXU 8041,cor azul, inscrição de Pacujá quando bateu violentamente na traseira de um caminhão tendo morte imediata, o fato ocorreu a cerca de 1 km da cidade de Pacujá. O caminhão era guiado pelo cidadão identificado por Tarcísio Rodrigues, que seguia da Região Serrana para a cidade de Mucambo carregado de água mineral. O motorista do veiculo permaneceu no local até a chegada da policia onde prestou esclarecimentos e foi liberado. A Policia Militar da cidade de Pacujá, juntamente com os agentes do pro-cidadania fizeram o isolamento da área a acionaram a pericia bem como o rabecão, para realização dos procedimentos legais, horas depois o corpo foi recolhido e levado para o IML de Sobral. Blog Mucambo em Questão

´Percursos Urbanos´ há três anos redescobrindo a Região

Elizângela Santos
Projeto existe há 10 anos em Fortaleza e tem conquistado público no Cariri . (Foto: Elizângela Santos)
As histórias ditas e as que alguém ainda não contou fazem parte do universo do ´Percursos Urbanos´, projeto responsável há três anos por uma nova forma de ver o Cariri e seus caminhos, completos em agosto próximo.

São 57 passeios feitos com a liberdade de escolha dos seus participantes, para que ao longo dos anos de realização, cada um tenha uma visão diferenciada dos diversos contextos vividos e das transformações ocorridas o longo dos anos.

As atividades fazem parte de um projeto de extensão da Universidade Federal do Cariri (UFCA), por meio do programa do Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB). O projeto é realizado há mais de 10 anos em Fortaleza, idealizado pelo Coletivo Mediação de Saberes.

Para o coordenador no Cariri, o professor Tiago Coutinho, os passeios têm propiciado aos participantes, além da diversão, uma reflexão sobre o espaço urbano, daquilo que está em volta das pessoas e que na maior parte das vezes não se torna perceptível, dentro de uma análise mais detalhada, por falta de um olhar mais crítico, afetivo e atento.

Ele também destaca no projeto uma espécie de mapeamento cultural da região. "Ao pensarmos um tema, estamos explorando a cidade a partir de um olhar específico. Costumo dizer também que o "Percursos Urbanos´ ajuda a nós, citadinos, a termos um outro olhar sobre a cidade", diz o pesquisador.

Inspiração

E são lugares inusitados. As reuniões para escolhas dos temas do próximo trajeto são em lugares também livres. Em uma praça, por exemplo. Lugares onde dá para se reunir e manter a inspiração, para estudo universalizado do tema e um constante diálogo com a cidade.

A história, o patrimônio herdado da sociedade, aos temas em debate atual, como o parto humanizado, mobilidade urbana, agroecologia, experiência com o semiárido, ou legados importantes de artistas que deram sua contribuição ao fortalecimento dessa memória afetiva, a exemplo do artista e ativista, Orlando Pereira, que morreu há pouco mais de um ano, que contou com a mediação do Bando Coletivo, com o título "Um sorriso para um bando de vândalos".

As inscrições para participar do Percursos podem ser feitas no próprio Centro Cultural, de forma gratuita, na recepção do Centro Cultural Banco do Nordeste, na Rua São Pedro, 337, em Juazeiro do Norte. Os participantes devem portar RG.

O trabalho tem o momento de vivência com os próprios moradores das comunidades, alguém mais experiência dá uma dinâmica especial aos diálogos entrecortados com os participantes do grupo e os estudiosos do assunto. As escolhas temáticas do grupo estão associadas a diálogos livres, exercitados pelos próprios integrantes do grupo.

O processo de interação e diálogo constante com a cidade é mantida pelo grupo, para as descobertas e releituras proporcionadas

O professor Tiago Coutinho ressalta o aspecto interessante de uma releitura proporcionada pelos participantes, já que em cada momento que os espaços são visitados e revisitados, sempre há algo ainda a ser aprendido. Um novo olhar é lançado.

Edições

Os trabalhos são realizados em duas edições a cada mês, sempre aos sábados, a partir das 15 horas, com saída do Centro Cultura. A equipe é composta, além de Tiago, por mais quatro estudantes, além de um funcionário do banco. Esses quatro estudantes, além de trabalhar no ´Percursos´, se revezam também no Narrativas em Volta do Fogo, outro projeto do grupo. 

As reuniões também são constantes para debater o próximo ´Percursos´. As novas discussões são permeadas de uma avaliação do trajeto anterior.

Sempre ocorre a presença de um mediador, que ajudar a pensar a fluência de um novo espaço a ser constituído para as futuras intervenções citadinas.

"Às vezes, nós da coordenação do projeto, indicamos algumas ideias, mas em geral acolhemos as propostas dos mediadores. Então, é importante frisar que o projeto passa muito longe do que as empresas de turismos chamam de "city tour". Nosso ônibus, por exemplo, é sem ar condicionado para que não fiquemos em uma "bolha" dentro da cidade", avalia.

Dentro do ônibus há o uso de um microfone para auxiliar no processo de interação entre passageiros e mediador, que vão conhecendo à medida em que percorrem.

O ideal é que nenhuma experiência seja igual a outra. Tiago cita o exemplo do Percursos feito em homenagem a Orlando Pereira. Foi uma forma de homenagear o importante artista, além de apresentar um pouco a obra dele para quem não o conhecia. E os lugares que ele gostava de ir no seu cotidiano, que contem também história da região, da natureza, foram revisitados.

Neste ano, no centenário da beata Maria de Araújo, o bando convidou a historiadora Edianne Nobre para participar, como mediadora, por ser uma estudiosa da vida da religiosa. Por onde Maria de Araújo Passou, onde morou, e um pouco da sua vida foram expostas para os participantes.

"São várias formas. Em geral, temos um banco de temas e mediadores que vamos criando de uma forma coletiva. Sentamos toda a equipe e fazemos um ´brainstorm´, vamos aleatoriamente pensando temas soltos. Quando surge um que agrada a maioria, vamos lapidando até chegar em uma proposta. Recebemos também muitas sugestões", explica Tiago Coutinho.

Ele acrescenta que passageiros que vão com frequência sugerem temas, às vezes os funcionários do banco também sugerem. "Há mediadores que entram em contato conosco propondo. Em geral, escolhemos temas que nos despertam curiosidade".

Narrativas

São três anos de atividades em que o coordenador Tiago Coutinho constata a percepção de uma cidade até maior do que se pensa, diante de cada lugar. Localidades de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, já foram alvo do Percursos. Para ele, há uma importante contribuição dos cidadãos comuns, que ajudam a narrar a história de suas respectivas cidades.

O Percursos Urbanos nesses três anos de realização tem promovido aos participantes uma importante contribuição, que os dias atarefados não estão permitindo ao cidadão contemporâneo, que é a de enxergar com olhar mais aprofundado o comportamento e a transformação social e as mudanças no espaço urbano se permitem.

"Em geral, conhecemos pouco nossa aldeia. E quando temos tempo livre, pensamos numa diversão que envolva consumo. O percurso é uma opção de lazer, mas que vai além, propicia um debate, uma discussão. É um processo educativo, mas acima de tudo, prazerosa", completa Coutinho.

E o próximo trajeto segue por uma temática que trata da rivalidade entre Crato e Juazeiro do Norte, que vem desde o século XIX, quando circulou a notícia de uma suposta invasão dos "fanáticos" do Padre Cícero às terras do Crato. Será no dia 9 de agosto, tendo como mediador Ítalo Bezerra.

FIQUE POR DENTRO

Os caminhos do projeto

O projeto Percursos Urbanos nasceu há praticamente três anos, com 57 experiência já realizadas por o grupo. Inspirado pelo Coletivo Mediação de Saberes, de Fortaleza, o trabalho faz parte de um programa do Centro Cultural Banco do Nordeste, em Juazeiro do Norte, além de ser projeto de extensão da Universidade Federal do Cariri (UFCA). As escolhas temáticas do grupo estão associadas a diálogos livres, exercitados pelos próprios integrantes do grupo. O Percursos Urbanos acontece duas vezes por mês, aos sábados, a partir das 15 horas. O processo de interação e diálogo constante com a cidade é mantida pelo grupo, para as descobertas e releituras proporcionadas.

Mais informações:

Projeto Percursos Urbanos
Centro Cultural Banco do Nordeste
R. São Pedro, 337 - Centro,Juazeiro do Norte - CE
Telefone: (88) 3512-2855

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário