LEIA COM ATENÇÃO

Atenção: as imagens contidas no blog são de domínio público e/ou retiradas do Google. Se você, por algum motivo, sentir-se ofendido ou agredido com alguma imagem ou texto postados neste blog, entre em contato e a mesma, se este for o caso, será retirada. Caso a imagem seja sua, avise-me para que eu lhe credite a autoria.CONTATO cratonoticia@gmail.com WHATSAPP [88] 9 9788 5932

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Ataque de Israel mata palestinos em escola da ONU










Palestinos inspecionam estragos causados por ataque contra escola da ONU em Gaza; 20 pessoas morreram. (Foto: Mahmud Hams/AFP)
Um ataque israelense matou ao menos 20 palestinos refugiados na manhã desta quarta-feira (30) em uma escola da ONU no norte da Faixa de Gaza, informaram os serviços de emergência. Um disparo de tanque atingiu em cheio duas salas de aula da escola da UNRWA, a agência da ONU para os refugiados palestinos, no campo de Jabaliya, revelaram os serviços de emergência.

Na noite de terça-feira, outros 13 palestinos morreram atingidos por disparos de tanques israelenses no campo de Jabalyia, de acordo com o chefe dos serviços de emergência da Faixa de Gaza, Ashraf al-Qudra.

Muitos civis palestinos se refugiaram nas escolas da UNRWA, especialmente em Jabaliya, após a advertência do Exército hebreu sobre a possibilidade de bombardeios em massa contra seus bairros. No total, cerca de 180 mil habitantes do território palestino estão refugiados, em condições muito precárias, nas 83 escolas geridas pela UNRWA.

No dia 24 de julho, um disparo de artilharia atingiu outra escola da ONU na Faixa de Gaza, em Beit Hanun, matando cerca de 15 palestinos. O Exército israelense negou sua responsabilidade no incidente.

Na madrugada desta quarta, a aviação de Israel matou oito palestinos de uma mesma família na cidade de Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, informaram os serviços de emergência.

Os ataques aéreos de Israel também atingiram três mesquitas, na cidade de Gaza, no campo de refugiados de Shati e em Rafah na madrugada desta quarta, segundo os serviços palestinos de segurança.

Durante a manhã, seis palestinos, entre eles três crianças, morreram em um ataque de tanques israelenses em Tuffah, um bairro do nordeste da cidade de Gaza, indicaram os serviços de emergência.

Com estas novas vítimas o número de mortos em Gaza nesta quarta já supera 30, entre eles 16 pessoas de uma escola da ONU do campo de refugiados de Jablaliya que morreram em um ataque israelense.

Na terça-feira (29), os bombardeios de Israel foram os mais violentos em dias, matando cerca de 100 pessoas, especialmente na Cidade de Gaza, no campo de Bureij (centro), em Jabaliya (norte) e na região de Rafah (sul).

No total, já chega a 1.260 o número de palestinos mortos desde o início da ofensiva de Israel contra a Faixa de Gaza, no dia 8 de julho, segundo Ashraf al-Qudra. Já Israel contabilizou 56 mortos, sendo 53 soldados e três civis.

Foguetes em escola

A agência da Organização das Nações Unidas (ONU) que cuida de refugiados palestinos disse nesta terça-feira (29) que encontrou um esconderijo de foguetes em uma de suas escolas na Faixa de Gaza e deplorou aqueles que colocaram o material no local.

O porta-voz da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina, Chris Gunness, condenou os responsáveis por colocar civis em perigo armazenando os foguetes na escola, mas não culpou especificamente ninguém em particular.

"Condenamos o grupo ou grupos que colocaram civis em perigo, escondendo essas munições em nossa escola. Esta é mais uma flagrante violação da neutralidade de nossas instalações. Apelamos a todas as partes em conflito que respeitem a inviolabilidade da propriedade da ONU", disse Gunness em um comunicado.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou indignação na semana passada com a descoberta de 20 foguetes em uma escola vazia da agência e em outra escola uma semana antes.

Gunness disse que a organização convocou um especialista em munições para eliminar os foguetes e garantir a segurança da escola, mas acrescentou que ele não pode acessar o local devido aos combates na área.

Fonte: G1

Juazeiro do Norte-CE: Morre costureira vítima da explosão de um botijão de gás em sua casa

Demontier Tenório///miseria.com.br
Neuma morreu nesta segunda-feira. (Foto: Arquivo Pessoal)
O corpo da costureira Neuma Canuto Rodrigues Vital, de 38 anos, chegou a Juazeiro do Norte na noite desta terça-feira procedente de Fortaleza onde morreu na Unidade de Queimados do Instituto José Frota (IJF). Na manhã do dia 31 de maio, ela viu sua casa explodir parcialmente após o vazamento de gás no interior do imóvel no Condomínio Tenente Coelho II do Minha Casa Minha Vida no bairro Aeroporto.

O velório dela acontece no salão de atos do TC II e o sepultamento se dará no Cemitério São João Batista ainda na manhã desta quarta-feira. A filha dela de apenas 9 anos de idade ainda hoje está internada em um dos leitos do Hospital São Vicente de Paulo de Barbalha e não sabe sobre o falecimento de sua mãe. A criança sofreu queimaduras pelo corpo a exemplo de um adolescente que mora na casa vizinha e brincava com a mesma na hora da explosão. Este já recebeu alta hospitalar.
Quarto do imóvel após a explosão. (Foto: Arquivo/Agência Miséria)

Tudo indica que houve o vazamento de gás e, no momento em que Neuma foi acender o fogo, houve a explosão quando a porta de sua casa foi parar em cima da residência em frente. Ela terminou arremessada pela janela e ficou em chamas, sendo socorrida em estado grave para o Hospital Regional do Cariri. No domingo, foi conseguida uma vaga na UTI do IJF de Fortaleza, mas a UTI no ar da CIOPAER (Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas) não venho apanhá-la

Houve manifestos de parentes e amigos na luta pela sobrevivência de Neuma Costureira que era uma pessoa querida no condomínio. Às 14h30min da terça-feira (3), a Secretaria de Saúde do Ceará mandou o helicóptero para transferir a paciente. Ela foi conduzida numa ambulância do SAMU até o aeroporto quando terminou colocada na aeronave após três dias de espera, seguindo com acompanhamento de um médico e uma enfermeira. As orações pelo restabelecimento da saúde dela foram muitas, mas não deu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário